Expectativas irrealistas na cirurgia plástica

Expectativas irrealistas na cirurgia plástica

Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), cerca de 30% dos pacientes são rejeitados por um cirurgião por terem expectativas irreais, não sendo possível atender as demandas pedidas.

A cirurgia plástica pode realizar grandes melhorias, não apenas estéticas, mas também psicológicas em quem se submete ao tratamento, mas para isso é necessário compreender quais são os objetivos da operação e da paciente.

Geralmente, a pessoa que possui uma expectativa irrealista sobre um procedimento espera ficar parecida com a celebridade que viu na televisão, atingir um patamar de beleza  que é inalcançável somente com a operação ou, ainda, utilizar a cirurgia para algo que não depende dela, como salvar um relacionamento ou tratar uma depressão.

Para decidir realizar ou não uma cirurgia plástica, é realizada uma longa entrevista entre cirurgião e paciente, necessária para descobrir se o procedimento vai atingir as expectativas geradas e se há alguma segunda intenção por trás do desejo de fazer a intervenção.

Além das expectativas, há outros motivos que podem barrar uma operação estética, como anorexia, diabetes e distúrbios hemorrágicos, devido a possibilidade de complicação dessas condições.